Os caminhos de Deus

"O SENHOR ME LEVOU POR CAMINHOS INESPERADOS E INSÓLITOS"

Roma, 16 de fevereiro de 1883. É aqui que os caminhos de Deus, "inesperados e insólitos", levam Madre Francisca. Convidada pelo fundador da Sociedade Católica para a Educação, Pe. Jordan, ela, que tendo sempre buscado a Deus, após ter feito o devido discernimento com o diretor espiritual que a dirigia naqueles anos, partiu de Mônaco e chegou de trem à Cidade Eterna. Colaborar na fundação do ramo feminino da Obra de Pe. Jordan será o primeiro trecho desses caminhos insólitos que percorrerá com ousadia ao longo de sua vida. Um pequeno apartamento tinha sido preparado para ela no número 151 da Via Borgo Nuovo. 

No primeiro andar de Borgo Nuovo n. 151 começou em Roma a nova Obra. Os quartos eram muito primitivos; o chão de tijolos. Os móveis consistiam de uma mesa, três cadeiras, três camas e utensílios de cozinha primitivos.
Sobre os colchões de palha, se podia encontrar somente o repouso noturno necessário. Um espaço foi usado como uma "capela muito simples". Era realmente uma casa de pobreza...

A.REICHERT

"O apartamento alugado por V. Reverencia é precisamente o pretendido pelo Senhor" - escreveu Madre Francisca para agradecer a pe. Jordan.  

Já em 6 de março, outras duas jovens alemães, Barbara Demer e Margaret Eck, se juntaram a ela e em pouco tempo outras ainda se uniram à nova comunidade. Nas Vésperas de 18 de março, Domingo de Ramos, Madre Francisca vestiu o pobre hábito franciscano, trocou seus sapatos e meias por sandálias e, à tarde, emitiu privadamente os votos de castidade, pobreza e obediência nas mãos do Padre Jordan, assumindo o nome de Maria Francisca da Cruz.