Superiora e Professora

PROFESSORA EM NÖRDLINGEN

Após sua profissão religiosa, Madre Francisca foi enviada a Nördlingen, na diocese de Augsburg, para ensinar na escola local «Filialinstitut für Klosterfrauen».
Das crônicas da escola de Nördlingen, sabemos que em 1868 três irmãs de Maria Stern e uma jovem em formação foram transferidas para essa filial. Com elas, portanto, também Madre Francisca, que iniciou as atividades escolares acolhendo um modesto grupo de estudantes, cujo número, no entanto, teria aumentado rapidamente. No programa formativo também incluia matérias práticas, em especial artesanato feminino, aulas de língua estrangeira e música (piano, cítara e canto).

 

Demonstrando que possuia significativas habilidades pedagógicas e excelentes habilidades culturais e didáticas, Madre Francisca da uma notável contribuição para o desenvolvimento desse trabalho, adquirindo experiência no campo que será muito útil nos anos seguintes, quando terá de assumir posições de responsabilidade diretiva.
Algum tempo depois, e precisamente no ano letivo de 1870 -1871, ela foi para Monheim e Wemding, ambas na diocese de Eichstätt, para dar aulas às meninas das duas cidades, a cerca de 30 km de Nördlingen.

 

«Educar, instruir, especialmente na doutrina cristã, transmitir princípios morais e preparar uma vida decente agradável a Deus» serão os objetivos pelos quais Madre Francisca transmitirá toda a energia, especialmente onde a pobreza e a marginalização levarão seu coração a uma ardente compaixão.   

bambini02.jpg

«Se, em obediência, servimos em missões de assistir os doentes ou educar as crianças, onde quer que estejam, sigamos este chamado com alegria»

Madre Francisca Streitel 

SUPERIORA A ALTOMÜNSTER

Em outubro de 1871, Madre Francisca, ainda não tinha trinta anos, foi nomeada superiora da Casa de Altomünster, na arquidiocese de Mônaco. Aqui ela se dedicou zelosamente a orientar a comunidade e a ensinar na escola de idiomas e costura para meninas, a quem ela própria dá aulas particulares de música.
Animada por um temperamento determinado e enérgico, ela se dá a todos com abnegação e força, mesmo quando críticas e incompreensões choviam sobre ela. Suas escolhas e intervenções, apesar das adversidades e dos contrastes, sempre e somente tiveram um amplo suspiro de franqueza e retidão.
Em 10 de outubro de 1871, sua Superiora Geral, Madre Salesia Ellersdorfer, escrevendo para a Sra. Streitel, disse:

«Ter aceito a dignidade de superiora, custou muitas lágrimas a sua filha;

no entanto, a santa obediência lhe dá força e coragem,

pois ela possui muitas boas virtudes que lhe asseguram a bênção de Deus.

Ela também tem um bom conhecimento prático de economia doméstica».

DIRETORA DO ORFANATO DE ELISABETHENHEIM EM WÜRZBURG 

Apenas sete meses depois, pede-se a Madre Francisca que assuma a direção do orfanato de Santa Elisabeth em Würzburg: um campo de ação mais amplo, com desafios educacionais ainda mais prementes. 
Não será fácil, mas fará de tudo para suportar o peso de uma responsabilidade crescente, consumindo toda a energia para dirigir adequadamente o orfanato e a comunidade. «Seu bom espírito e exemplo nobre ainda vive entre nós» - dirá cinquenta anos depois uma irmã de Elisabethenheim que esteve perto dela naqueles anos.

kaeppele_01.jpg

Würzburg - Santuário do Käppele

Würzburg_Käppele02.jpg

Würzburg - Santuário do Käppele

Não é de se surpreender  o surgimento de um forte conflito interno, que remonta a este tempo, mencionado por Madre Francisca em uma carta datada de setembro de 1881 ao Bispo de Augsburg:

 

«Nos primeiros anos, eu era uma religiosa fervorosa que agia de acordo com princípios austeros, mas depois fiquei flexível e me adaptei às pessoas que não aderiam estritamente à regra e às prescrições monásticas.

 

Então, eu tinha mais de uma tendência desordenada e me deixei dominar, até o tempo que Deus quiz; de fato, há cerca de 4 anos atrás , fui afetada por uma doença fatal. Então reconheci minha confusão e orei a Deus para prolongar minha vida. Travei uma dura luta com meu amor próprio, minhas más inclinações, meus estados de animo.
Uma boa confissão com um padre capuchinho me trouxe muita luz...».

No entanto, as irmãs nem sempre compartilhavam seu renovado espírito religioso e suas direções ascéticas. Elas a acusam de querer inovar as regras e de ser um espírito inquieto. Na realidade, a jovem irmã sente cada vez mais forte o desejo de viver a sine glossa o Evangelho e a austeridade original do regra franciscana.

Assim, que podia, subia ao santuário de Käppele, em frente a imagem de  Nossa Senhora das Dores, e deposita toda angustia e todo desejo mais ardente:

 

«O Senhor me levou
através de um rio de dor...
Lá experimentei o que significa
estar aos pés da cruz com o coração sangrando».

DIRETORA DO INSTITUTO MARIANO 

Em abril de 1880, Madre Francisca recebeu outra obediência: a direção do Instituto Mariano em Würzburg. A Obra precisava de um guia que restaurasse o destino do educandário, trazendo de volta a ordem e a disciplina. «A obediência me impõe» - ela disse, e mais uma vez se lança de frente para a nova emergência educacional que via, por um lado, setenta órfãos necessitando de uma guia diligente e generosa e, por outro, uma comunidade a ser cuidada e, em parte, também renovada na autenticidade evangélica e no zelo religioso.